Gateway de pagamento em E-Commerce: entenda como usar para melhorar processos

Gateway de pagamento em E-Commerce: entenda como usar para melhorar processos

O gateway de pagamento é a solução técnica que faz a comunicação entre um e-commerce e as adquirentes de cartão, funcionando de forma equivalente às “maquininhas” de cartão de crédito em lojas físicas.

Com a utilização de um gateway de pagamento, uma empresa negocia diretamente com as adquirentes, como Cielo, Elavon, Redecard, Getnet e outras, que por sua vez se comunicam com bandeiras como Mastercard, Visa, Elo e Amex. Isso significa que é possível negociar para reduzir custos com taxas.

Neste artigo, explicaremos melhor como funcionam os gateways de pagamentos e como eles podem ser utilizados para facilitar a operação de um e-commerce. Boa leitura!

O funcionamento de um gateway de pagamento

Apesar de muitas vezes serem utilizados como sinônimos, um gateway de pagamento é muito diferente das plataformas de pagamento, que são serviços mais completos como o PayPal, a Moip pagamentos e o BoaCompra.

O gateway de pagamento é uma aplicação que protege informações de cartões de crédito dos clientes de um e-commerce por meio de criptografia e outros protocolos de segurança e asseguram que esses dados sensíveis cheguem à instituição financeira que processará o pagamento.

Como faz a comunicação em tempo real com os bancos dos clientes, o gateway de pagamento pode inclusive realizar a aprovação instantânea da compra, da mesma forma que os terminais de cartões de crédito em lojas físicas.

Integrando o gateway de pagamento no sistema

O gateway de pagamento é uma solução técnica que pode simplificar o processo de desenvolvimento de um e-commerce. Em vez de ter que criar múltiplas aplicações para integrar o sistema de checkout com cada uma das instituições financeiras, com o gateway basta uma única integração, que geralmente é bem simplificada.

Além disso, ele também facilita o relacionamento da loja com adquirentes e bancos: se surgirem mudanças técnicas na forma como a integração é feita, essa responsabilidade é assumida pelo próprio gateway, que realiza os ajustes na plataforma.

Outra vantagem da integração do gateway de pagamento é que fica mais simples cumprir com os requisitos do PCI DSS, que é o padrão de segurança para transações com cartões de crédito. Com o gateway, o lojista não precisa assumir responsabilidade sobre a transferência e armazenamento dos dados sensíveis de cartão de crédito, aliviando a carga técnica de desenvolvimento de soluções para isso.

A vantagem do checkout sem redirecionamento

Ao contrário de plataformas de pagamentos — que usualmente demandam que o cliente seja redirecionado para um site de terceiros na hora de concluir a compra —, o gateway permite que a transação seja completada dentro da interface do e-commerce, sem nenhum tipo de redirecionamento.

Esse modelo integrado significa mais que um simples conforto visual na hora de efetuar transações. A alternância de interfaces e redirecionamentos significa um atrito na hora do pagamento e, mesmo que seja muito suave em boa parte dos casos, ele pode causar a desistência de clientes no momento final da compra.

Na prática, muitos consumidores desistem de comprar quando são redirecionados para pagar em uma página de terceiros. Com um gateway de pagamento, esse atrito não acontece e a taxa de conversão é maior.

Negociando taxas com o gateway de pagamento

Outra vantagem do gateway de pagamento é a possibilidade de negociar taxas com os adquirentes. Com esse tipo de solução técnica, o relacionamento do e-commerce será mais direto com esses intermediários, o que significa mais flexibilidade contratual.

Enquanto em uma plataforma de pagamentos é preciso utilizar apenas as bandeiras que tenham acordos com ela, com um gateway de pagamento é possível negociar com diversos adquirentes para contar com opções de pagamentos em todas as bandeiras de cartões de crédito.

Além disso, enquanto as plataformas de pagamentos trabalham com taxas fixas, quando um e-commerce utiliza um gateway de pagamento ele pode entrar em contato com os adquirentes e negociar taxas mais vantajosas, o que é especialmente interessante para empresas que têm um grande volume de transações mensais e podem utilizar esse argumento para negociar taxas melhores.

As desvantagens dos gateways de pagamentos

Apesar de serem uma solução prática, os gateways de pagamentos também têm pontos negativos. E o principal deles é a burocracia: enquanto com um intermediador de pagamentos basta um único cadastro e um processo simples, no gateway de pagamento é necessário acertar contratos individuais com cada adquirente.

Em cada um desses contratos, será preciso levantar uma série de documentos e fechar acordos específicos com essas instituições. Além de mais dores de cabeça, isso significa também mais custos com burocracia.

Outra desvantagem significativa é a ausência de um serviço antifraude que filtre as transações ativamente. Ainda que muitos fornecedores de gateway ofereçam essa opção, para contar com ela é preciso contratar a funcionalidade separadamente.

Apesar desses contrapontos, a flexibilidade oferecida pelos gateways é maior que a de soluções mais completas, como as plataformas de pagamento.

As principais opções de gateways de pagamentos no Brasil

Assim como existem múltiplas opções de terminais de cartões de crédito para uma loja física, também existem diversos gateways de pagamentos disponíveis para empresas brasileiras, cada um com vantagens e desvantagens específicas.

Para escolher um deles, a dica é avaliar primeiramente as necessidades do e-commerce e, então, pesquisar quais podem cumpri-las com custos razoáveis de implementação e manutenção.

Algumas das principais opções disponíveis hoje são:

  • Braspag: veterana nesse mercado e empresa do grupo Cielo;
  • PayZen: um gateway simples com todas as adquirentes do mercado;
  • Vindi: gateway de pagamento com diversas funcionalidades extras;
  • MaxiPago: também oferece sistemas antifraudes;
  • MundiPagg: atende a mais de 7000 lojas virtuais;
  • Yapay: o gateway de pagamento da Locaweb.

Todas essas opções são produtos de fácil implementação do ponto de vista técnico, o que pode simplificar e reduzir os custos de desenvolvimento de um e-commerce. Para quem prefere sacrificar um pouco da flexibilidade para ter ainda mais praticidade, a dica é optar por uma plataforma de pagamentos como o PayPal, PagSeguro ou Moip pagamentos.

Agora que você já sabe como funciona um gateway de pagamento, aproveite para conhecer também a Focus NFe, uma API para emissão de notas fiscais que pode economizar muito tempo no seu e-commerce! Entre em contato e saiba mais!

Utilize uma API para emissão de documentos fiscais eletrônicos

Nota Fiscal eletrônica é assunto sério e pode dar muito trabalho para seu time de desenvolvimento. Mas você não precisa se preocupar e nem ter um custo alto para terceirizar a emissão destes documentos. A Focus NFe é uma plataforma especializada em documentos fiscais. Atua no mercado desde o surgimento desta tecnologia. Empresas de todos os portes já emitiram mais de 11 milhões de documentos fiscais.

Veja abaixo a lista de todas as APIs disponíveis na Focus NFe

  • NFe: Emita Nota Fiscal Eletrônica
  • NFSe: Nota de serviço com um formato único e simplificado
  • NFCe: Nota ao consumidor
  • CFe SAT: Em SP? Sem problemas, temos integração com SAT também.
  • CTe: Conhecimento de transporte eletrônico (inclusive CTe OS)
  • MDe: Receba por webhooks todas as notas emitidas para o seu CNPJ

Além de APIs acessórias úteis para o seu software.

  • CEP: Busca de CEPs sempre atualizada com a base de dados dos Correios
  • CFOP: Consulte todos os códigos fiscais de operação
  • NCM: Mantenha o cadastro de produtos de seu cliente sempre correto com o código NCM padronizado