Core Web Vitals e SEO: o que muda em Maio de 2021

Core Web Vitals e SEO: o que muda em Maio de 2021

Otimizar sites para que apareçam nas primeiras posições nos mecanismos de busca já é uma prática que faz parte do dia a dia de quem está no ambiente digital. Um dos segredos para se manter sempre em destaque é estar atento às atualizações, como a recente mudança no Core Web Vitals.

Prevista para entrar no ar em Maio de 2021, essa mudança foi divulgada no Google Search Central Blog, canal oficial da plataforma de busca. Segundo os responsáveis, seguir essas novas diretrizes é garantia para o sucesso online a longo prazo.

Se você está de olho nessas novidades e quer manter o seu site sempre otimizado, acompanhe esse artigo e saiba o que você precisa melhorar para garantir seu posicionamento nos resultados de busca!

O que são os Core Web Vitals

Antes de fazer com que o site esteja nas primeiras posições nas buscas, é preciso garantir que os visitantes tenham uma boa experiência ao acessar as páginas. Para auxiliar os desenvolvedores a alcançar um bom desempenho nessa questão, o Google criou uma iniciativa chamada Web Vitals.

O Web Vitals é uma fonte de informação promovida pelo Google que oferece orientação para melhoria em UX. Nessa fonte são indicadas ferramentas, práticas e ações que podem melhorar a interação dos visitantes e, consequentemente, garantindo o melhor desempenho do site.

Entre os diversos aspectos que são citados para a melhoria da experiência do usuário, existem algumas métricas que são essenciais. Essas métricas são o que que chamamos de Core Web Vitals. Cada um dos elementos representa uma faceta de UX que se aplicam a todas as páginas na web. Vamos entender melhor quais são esses fatores.

Core Web Vitals: os três elementos centrais

São três os elementos que se destacam como centrais na hora de garantir uma boa experiência de navegação:

  • Velocidade de carregamento percebida (Largest Contentful Paint – LCP): esse fator mensura o tempo de carregamento da página, desde o acionamento do link até a apresentação total do conteúdo principal. Uma página otimizada, por exemplo, carrega dentro de 2,5 segundos.
  • Demora da primeira interação (First Input Delay – FID): esse aspecto avalia a experiência inicial de um usuário com uma página, medindo a capacidade de resposta que o site oferece.
  • Mudanças cumulativas no layout (Cumulative Layout Shift – CLS): esse elemento verifica o quanto o site é visualmente estável, analisando se existem mudanças inesperadas no design da página.

O que muda a partir de Maio de 2021

Até o momento, o algoritmo do Google já considera fatores de UX para avaliar uma página antes de apresentá-la como resultado. Esses fatores são os seguintes:

  • Adaptação para dispositivos móveis: o sistema avalia se as páginas são adequadas para acessar via smartphones e tablets.  
  • Navegação segura: verificação do conteúdo para evitar que sites com elementos suspeitos e ou enganosos apareçam como resultado nas buscas.
  • Segurança com HTTPS: o HTTPS (Hyper Text Transfer Protocol Secure) é outro aspecto de segurança que valida se a página possui o Certificado SSL.
  • Ausência de intrusões: o mecanismo verifica se a página tem anúncios em formato pop-up, que causam interrupções incômodas e atrapalham a visualização do conteúdo principal.

Agora, a mudança prevista pelo Google vai incorporar os três Core Web Vitals entre os elementos que o algoritmo avalia antes de incluir um site como resposta de uma busca.

Dessa forma, a qualidade dos sites apresentados como resultados no Google tende a melhorar. Portanto, é uma iniciativa da ferramenta para impulsionar a melhoria na experiência de uso dos sites, aliada a conteúdo de qualidade.

Você pode ter mais tempo para focar nos aspectos de otimização do seu site ao automatizar a emissão de notas fiscais. Conheça o Focus NFe https://focusnfe.com.br