Verticalização ou horizontalização de produto: o que optar? Entenda!

Verticalização ou horizontalização de produto: o que optar? Entenda!

Todo negócio de SaaS deve ser escalável para ser lucrativo. Isso quer dizer que o custo não deve crescer na mesma proporção do número de clientes pagantes. Diante disso, optar pela verticalização ou horizontalização de produto, por tratar-se de um sistema, pode ser um dilema para as empresas de SaaS.

Uma das formas primordiais para se manter escalável é preservar o seu software com um escopo limitado. Para tomar a decisão mais eficiente, é preciso ter o conceito de escalabilidade bem definido em mente, fazendo uma análise que contemple a estratégia do empreendimento.

O que, de fato, significa a escalabilidade? Existe uma melhor opção ou depende de cada negócio? Quais são as melhores escolhas em cada caso? Para responder essas questões, preparamos este post para discorrer sobre o assunto. Quer saber mais? Venha conosco!

Quais são os fundamentos da escalabilidade?

Empresas que oferecem sistemas sempre pensam no aumento dos usuários ativos e pagantes. Contudo, como dissemos acima, o crescimento não pode significar elevação de custos para o empreendimento.

A escalabilidade é muito importante para empresas de SaaS, pois mantê-la garante que um grande número de usuários pagantes possa ser atendido sem que os custos da empresa cresçam na mesma proporção, já que, em geral, o valor mensal cobrado pelo uso do sistema é baixo. Isso traz lucratividade.

Sistemas horizontais escaláveis

Quando o sistema se propõe a atender empresas de diversos segmentos, trata-se de um programa horizontal. Para que ele seja escalável, é importante que seja destinado a resolver um problema específico que vários segmentos compartilham.

O Gmail, por exemplo, é um sistema horizontal, pois pode ser usado por empresas de qualquer ramo de atividade. Por outro lado, ele resolve um entrave bastante específico: a gestão de e-mails.

Sendo horizontal (atende qualquer segmento), porém focado em um problema específico (e-mails), o Gmail consegue cumprir com maestria a finalidade a que se propõe.

Outro exemplo é o Focus NFe — nossa API para a emissão de nota fiscal eletrônica. Qualquer empresa, independentemente do segmento, pode utilizar a API, já que ela se propõe a resolver um problema bastante específico: a emissão de NFe.

Nesses dois casos, como o foco do sistema é bem definido, o custo de manutenção e suporte pode ser reduzido drasticamente, provendo uma rentabilidade interessante.

Sistemas verticais escaláveis

O modelo vertical foca em um segmento específico, atendendo diversas demandas desse mesmo setor. Nesse caso, o fornecedor do software geralmente passa a “respirar” a realidade de seu cliente, tentando, todos os dias, descobrir suas principais dores e resolvê-las, não se preocupando com outros segmentos, mesmo que similares.

Essa estratégia é adotada em outro produto aqui da Acras Sistemas: o Focus Lojas. Ele é destinado exclusivamente para lojas de vestuário, dessa forma, podemos nos concentrar somente nesse setor e resolver os problemas pertinentes da melhor forma possível.

O importante em sistemas verticais escaláveis é que o foco não se desvie para outro setor, por isso, não caia na tentação de “crescer o negócio” atendendo outros ramos — isso é uma ilusão.

Na verticalização, mantenha total atenção nos lances da área que a sua solução se propõe a atender, a fim de oferecer funcionalidades que facilitem a vida do usuário dentro daquela atuação específica. Estratégia em primeiro lugar.

Qual é a opção mais vantajosa para o negócio?

À medida que o crescimento e o desenvolvimento do produto se dão, é preciso ser focado no que diz respeito à escalabilidade: até onde aumentar o público atendido é possível sem comprometer a qualidade do serviço ou gerar custos extras?

De forma semelhante, até onde um sistema pode diversificar o que se propõe a entregar sem que se perca dentro do funcionamento de cada atividade? Lembre-se de que não pode haver aumento de despesas e preocupações para quem desenvolve.

Tanto o modelo horizontal quanto o vertical podem fazer com que o negócio seja escalável. O essencial para decidir qual dos rumos seguir na organização é ter em mente os pilares do planejamento estratégico, sempre aplicando a escalabilidade.

Se o que foi definido quando o projeto foi pensado estava relacionado à oferta de uma solução específica para um público geral, mantenha-se na horizontalização, pensando em desenvolver, cada vez mais, ferramentas que agregam valor ao sistema dentro da proposta.

Se a tomada de decisão for orientada no sentido de que o programa deve ser especializado num segmento específico, o desenvolvedor precisa pensar em como resolver as dores do atuante. Quanto mais soluções puderem ser agregadas de forma eficiente, melhor.

Como não cometer erros na hora de decidir?

Tentar ser horizontal e resolver vários problemas comuns a várias empresas torna as coisas muito difíceis: a quantidade de decisões de escopo e implementação acaba crescendo de forma exponencial.

O principal — e mais fatal — erro que pode ser cometido na definição do escopo de uma solução SaaS é tentar abraçar os dois modelos de uma vez só. Então, a melhor dica para não errar é escolher entre um dos dois e ater-se a ele.

Como esses conceitos se aplicam no desenvolvimento de software?

No ciclo de desenvolvimento de sistemas, especialmente no momento de especificação de requisitos e definição das sprints de desenvolvimento, ter, com clareza, o formato escolhido é a chave!

Se o seu sistema é vertical, basta focar no ramo de atividade a que ele se propõe a atender, dando atenção a seus clientes atuais, estudando o setor. Mantenha-se ocupado em descobrir suas maiores dores e resolvê-las.

Se o seu sistema é horizontal, no entanto, é importante conhecer profundamente o problema que está sendo resolvido: como empresas distintas enfrentam o entrave? Como elas o resolvem?

Uma vez que o seu foco está em questões como as citadas no parágrafo acima, as funcionalidades definidas são mais aderentes ao problema pontual, independentemente do ramo de atividade do utilizador. A expertise faz a diferença.

Este material sobre verticalização ou horizontalização de produto esclareceu suas dúvidas sobre os conceitos? Agora, você pode aplicá-los em sua área, potencializando a produtividade para obter resultados excelentes e agregar valor ao seus sistemas.

Para acompanhar nossas dicas, siga-nos nas redes sociais: estamos no Facebook!

Utilize uma API para emissão de documentos fiscais eletrônicos

Nota Fiscal eletrônica é assunto sério e pode dar muito trabalho para seu time de desenvolvimento. Mas você não precisa se preocupar e nem ter um custo alto para terceirizar a emissão destes documentos. A Focus NFe é uma plataforma especializada em documentos fiscais. Atua no mercado desde o surgimento desta tecnologia. Empresas de todos os portes já emitiram mais de 11 milhões de documentos fiscais.

Veja abaixo a lista de todas as APIs disponíveis na Focus NFe

  • NFe: Emita Nota Fiscal Eletrônica
  • NFSe: Nota de serviço com um formato único e simplificado
  • NFCe: Nota ao consumidor
  • CFe SAT: Em SP? Sem problemas, temos integração com SAT também.
  • CTe: Conhecimento de transporte eletrônico (inclusive CTe OS)
  • MDe: Receba por webhooks todas as notas emitidas para o seu CNPJ

Além de APIs acessórias úteis para o seu software.

  • CEP: Busca de CEPs sempre atualizada com a base de dados dos Correios
  • CFOP: Consulte todos os códigos fiscais de operação
  • NCM: Mantenha o cadastro de produtos de seu cliente sempre correto com o código NCM padronizado