O que é SVA, quais os tipos e vantagens dessa estratégia?

Ludmila Ferreira

Essa sigla representa o Serviço de Valor Agregado, e é um diferencial competitivo que já está inserido há mais de dez anos na área das telecomunicações. Este serviço influencia diretamente no comércio de produtos desse mercado, como por exemplo provedores de internet fixa, móvel ou telefonia. O SVA pode ser reconhecido também como Serviços de Valor Adicionado. Desde os anos 2000, é uma estratégia que tende a se adaptar conforme mudanças ocasionadas pela popularização da internet. Entenda o que é esse serviço no artigo de hoje e aprenda como usá-lo da forma correta na busca de novos clientes e na fidelização dos seus clientes atuais.

Conteúdo

O que é SVA?

Segundo a Anatel, SVA diz respeito a qualquer atividade que acrescenta aos serviços de telecomunicações novas funções em relação ao acesso, armazenamento, apresentação, movimentação ou recuperação de informações. 

Assim, o Serviço de Valor Agregado é a oferta de um serviço feito como um benefício extra dentro de um produto de telecom principal. A ideia é agregar valor a planos e pacotes de operadoras utilizando uma comercialização de serviços externos em conjunto.

Por que as operadoras adotam o SVA?

Há alguns pontos importantes do porque as operadoras adotam o SVA.

Por exemplo, a possibilidade de incorporação de aplicativos pagos nos planos de serviços. Isso porque é um fator que tem potencial para atrair novos usuários e fidelizar os atuais. 

Além disso, o SVA é um diferencial de entrega que se destaca em uma comparação entre concorrentes, apresentando benefícios como:

  • Possibilidade de aumentar a autoridade no mercado;
  • Gerar maior proposta de valor; 
  • Gerar um portfólio de serviços estratégicos e diversificados;
  • Otimizar o uso dos recursos financeiros.

Outro ponto são as questões tributárias que se tornam mais estratégicas. 

Isso porque os produtos de telecomunicações têm tributação do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), que pode chegar a 18%. 

E quando se tratam de serviços adicionais, estes são onerados com o Impostos Sobre Serviços (ISS) no âmbito municipal com uma alíquota de até 5%.

Logo, com o SVA discriminado na nota fiscal, os impostos pagos pelas operadoras em telecomunicações são menores. Uma vez que o valor da telefonia ou banda larga é inferior ao total do plano.

Quais as vantagens do Serviço de Valor Agregado para empresas?

Ofertar serviços de qualidade deve ser uma das premissas de prestadoras de serviços de telecom. 

Logo, o SVA é uma forma de tornar ainda melhor um produto que já é bom. Aprimorando a experiência do usuário, o que aumenta as chances de fidelização.

Uma dica importante: se há algum canal de comunicação ou outro serviço que tem feedbacks ruins, busque melhorá-los antes de investir em serviços extras. Isso porque quanto mais as necessidades dos seus clientes forem melhor atendidas, maiores as chances de alcançar bons resultados. 

Assim, o Serviço de Valor Agregado funciona como uma forma de se destacar no mercado e trazer mais clientes. Com esse serviço é possível criar produtos e planos diferenciados, aumentando sua relevância.

Quais os tipos de SVA?

Analisando os pacotes de serviços antigos de telecomunicações, podemos encontrar os seguintes tipos de serviços: contas de email, personalização de ringtones, armazenamento em nuvem e antivírus. 

Mas considerando a mudança de comportamento dos consumidores e suas necessidades, surgiram novos perfis de consumo, de modo que as empresas de telecom precisaram se adaptar.

Vejamos alguns tipos de serviços de valor adicionado ou agregado.

Serviço de Valor Agregado Educacional

Categoria de serviço que oferece conteúdo ou funcionalidades relacionadas à educação. Pode incluir serviços tutoriais, cursos online, informações educacionais, dicas de estudos, aplicativos de aprendizado de idiomas, entre outros.

Alguns exemplos são: Duolingo, Babbel, Udemy, Moodle, Khan Academy, entre outros aplicativos e plataformas que desempenham a ampliação do acesso à educação e aprimoramento do aprendizado.  

Serviço de Valor Agregado de segurança e controle parental

Esse tipo de SVA é projetado para auxiliar pais e responsáveis na segurança daquilo que seus filhos acessam na web. Como exemplos, temos: 

  • Filtros de conteúdo Web: serviços que bloqueiam o acesso a sites e conteúdos impróprios, baseados em categorias de conteúdos, palavras-chave ou classificação etária;
  • Controle de tempo de tela: aplicativos e serviços que permite que os pais definam quanto tempo seus filhos podem usar os dispositivos;
  • Monitoramento de mensagens e redes sociais: aqui os pais monitoram as mensagens de texto, posts em redes sociais e outras atividades online.

Ainda temos também: aplicativos de rastreamento de localização, controle de aplicativos e jogos, relatório de atividades, controle remoto, entre outros serviços que permite aos pais um monitoramento e maior garantia de um acesso seguro à internet por parte dos seus filhos.

Serviço de Valor Agregado de gerenciamento de Wi-Fi

São os serviços adicionais ou recursos fornecidos por um provedor de Wi-Fi com o objetivo de melhorar a qualidade da conexão. Por exemplo:

  • Segurança avançada: inclui firewall, detecção de invasores, proteção contra malware e filtragem de conteúdo para proteger a rede contra ameaças online;
  • Rede de visitantes gerenciada: permite que os proprietários da rede configurem com facilidade uma rede separada para visitantes com acesso à internet, isolada da rede principal;
  • Assistência técnica remota: suporte remoto em que os técnicos acessam o roteador e solucionam os problemas de conectividade sem a necessidade de uma visita presencial.

Outros serviços são: VPN Integrada, Quality of Service (QoS) personalizado, análise de tráfego em tempo real, armazenamento em nuvem integrado, e outros itens que podem variar conforme o provedor. 

Lembrando que essas opções de SVA podem se alterar com o passar do tempo, acompanhando as novas tecnologias e necessidades dos usuários.

Serviço de Valor Agregado de conteúdo esportivo

Com foco em interessados em esportes, esse SVA pode ofertar uma série de experiências como:

  • Transmissão em realidade virtual (VR);
  • Conteúdo multimídia exclusivo;
  • Acesso antecipado a ingressos;
  • Análise de apostas esportivas;
  • Acesso a câmeras exclusivas;
  • Jogos e desafios interativos;
  • Outros recursos que permitem que os fãs de esportes tenham uma experiência diferenciada.

Hubs de SVA

São serviços que comportam plataformas ou aplicativos que oferecem acesso a uma variedade de SVAs diferentes. Ou seja, aqui o cliente pode escolher e personalizar os serviços. 

Aqui entram as assinaturas de streaming, notícias personalizadas, serviços de compra online, aplicativos de viagem, plataformas de entrega, entre outros. Tudo de maneira flexível e que pode ser agregado ao pacote principal. 

Serviço de Valor Agregado de Conteúdo

São os serviços adicionais ao conteúdo principal que proporcionam uma experiência mais atrativa para o usuário. Por exemplo: legendas, dublagens, comentários em tempo real, realidade virtual, transcrições e resumos, conteúdos extras sobre bastidores, conteúdos interativos, etc.

Tudo isso com a intenção de dar uma experiência personalizada e mais interessante para os clientes.

É possível retirar um SVA do plano?

É possível. As operadoras Claro, Tim, Oi e Vivo, por exemplo, têm diferentes planos que não incluem SVA’s. 

Entretanto, é preciso estar atento, pois as mensalidades não costumam ficar mais baratas ao ponto das empresas cobrarem até mesmo o valor integral pelos serviços de telecomunicações.

Conclusão

Fazer uso de Serviços de Valor Agregado na proposta de seus produtos pode ser muito benéfico, desde que as estratégias sejam bem elaboradas e tenham um respaldo tributário e jurídico legalizado.

Com o uso de SVAs, você amplia o alcance do seu negócio e proporciona aumento da sua proposta de valor junto aos seus clientes. Uma vez que são várias as possibilidades que esse tipo de serviço oferece, permitindo uma maior diversificação de produtos ofertados e criação de um diferencial estratégico para conquistar seus usuários. 

Simplifique sua gestão de documentos fiscais com a Focus NFe

Somos um ecossistema de soluções para a emissão e gestão de documentos fiscais, permitindo que empresas dos mais diversos portes e segmentos ganhem mais tempo para focar no que importa.

Sua empresa possui desenvolvedores, sistema interno e quer otimizar a emissão de notas? Conheça nosso conjunto de APIs para emissão de documentos fiscais!

Converse já com a nossa equipe: fale com a nossa equipe!

Picture of Ludmila Ferreira

Ludmila Ferreira

Assistente comercial e marketing na Focus NFe. Apaixonada por vôlei, música e livros.

Inscreva-se em nossa newsletter​

Receba nossos conteúdos exclusivos em primeira mão.

Explore outros conteúdos:

Nota Técnica 2024.001 (NFe, NFCe e CRT 4): regras de validação
Nota Fiscal
Junior Muniz

Nota Técnica 2024.001 (NFe, NFCe e CRT 4): regras de validação

Em abril de 2024, foi lançada a versão 1.00 da Nota Técnica 2024.001, com impactos para a Nota Fiscal Eletrônica – modelo 55 e a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica – modelo 65.

Basicamente, são implementadas mudanças de validação para que os Microempreendedores Individuais (MEIs) tenham direito à emissão de NF-e e/ou NFC-e pela utilização do código de regime tributário (CRT) “4 – Simples Nacional – Microempreendedor Individual – MEI”, previstas no Convênio S/N de 1970.

Além disso, está eliminado o processo de denegação para a NF-e modelo 55 e são apresentados os Códigos Fiscal de Operações e Prestações (CFOPs) que os MEIs podem passar a utilizar em suas emissões.

Confira todas as mudanças a seguir.

Leia mais »
EFD-Reinf: Publicado o Manual de Orientação ao Desenvolvedor
Nota Fiscal
Ludmila Ferreira

EFD-Reinf: Publicado o Manual de Orientação ao Desenvolvedor

A EFD-Reinf existe desde 2018 e é uma das principais obrigações fiscais que as empresas devem cumprir e entregar mensalmente ao governo. Ela foi criada para substituir a Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf), em relação aos fatos ocorridos a partir de janeiro de 2024, conforme a Instrução Normativa nº 2.096/2022, da Receita Federal. A substituição começa a valer de fato a partir de 2025.

Elas devem entregar informações relacionadas à retenção na fonte de contribuições previdenciárias e apuração da contribuição previdenciária sobre a receita bruta.

De lá para cá, a EFD-Reinf tem passado por diversas mudanças, a fim de substituir e unificar o envio de informações que antes precisavam ser enviadas separadamente, tais como:

– Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP);
– Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF)
– Relação Anual de Informações Sociais (RAIS); e
Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED).

Desde quando foi criada, a EFD-Reinf passou por diversas mudanças, as quais são exploradas neste artigo. Além disso, trazemos um panorama deste módulo tão importante para empresas.

Leia mais »