Modelos 21 e 22 da NF-e: conheça esses documentos e suas atualizações

Jaciara Santana

A nota fiscal modelo 21 e a nota fiscal modelo 22 são referências quando se fala sobre emissão de notas fiscais para serviços de comunicação e telecomunicação. Ambos os documentos possuem particularidades e seu método de emissão possui diversos passos a serem seguidos. Trazemos, a seguir, as informações relativas aos dois tipos de nota fiscal: o que são, quando e por quem devem ser emitidas.

Conteúdo

A nota fiscal modelo 21 e a nota fiscal modelo 22 são referências quando se fala sobre emissão de notas fiscais para serviços de comunicação e telecomunicação.

Ambos os documentos possuem particularidades e seu método de emissão possui diversos passos a serem seguidos. 

Trazemos, a seguir, as informações relativas aos dois tipos de nota fiscal: o que são, quando e por quem devem ser emitidas.

O que é a Nota Fiscal Modelo 21 e 22?

A nota fiscal modelo 21 é uma opção que veículos de comunicação podem utilizar para faturamento de alguns serviços, como publicidade, telefonia, rádio, televisão e demais meios de comunicação. 

É isenta de ISSQN e gera economia aos adeptos, mas é pouco utilizada e a maioria dos sistemas financeiros não contam com este modelo de NF, já que são sistemas genéricos. 

A nota fiscal modelo 22 é um documento fiscal eletrônico emitido para registrar transações da área de telecomunicações e é muito utilizada por empresas de telefonia. 

Os modelos 21 e 22 diferem do modelo 55, pois além de serem emitidos em via única de forma eletrônica, ou seja, não existe o DANFE. Além disso, eles não possuem o arquivo XML, comum à maioria das outras notas fiscais.

Ademais, têm seu formato de texto disponibilizado pela Sefaz em layout próprio e ambas não necessitam de Certificado Digital — somente na hora de transmitir o arquivo à Sefaz é que o certificado se faz necessário. 

Como funciona a Nota Fiscal de Comunicação e Telecomunicação?

Como já destacado, a Nota Fiscal de Comunicação e Telecomunicação é responsável por registrar operações de empresas que prestam serviços de comunicação e telecomunicação.

A regra é definida pelo Convênio ICMS 115/2003, do Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ) e que dispõe das regras de emissão da NF modelo 21 ou 22 para recolhimento do ICMS.

As empresas que prestam serviços de telecomunicação devem emitir uma das notas (modelo 21 e 22) sempre que houver a prestação dos serviços nos setores supracitados e possuir um software emissor aprovado por alguma autoridade local para gerar o documento.

No documento, devem constar informações obrigatórias como dados da empresa prestadora de serviços, dados do cliente, descrição dos serviços prestados, valor cobrado, impostos incidentes, entre outros detalhes. 

A Nota de Serviço de Comunicação (modelo 21) deve ser emitida em, no mínimo, três vias com os seguintes destinos:

  • usuário do serviço oferecido;
  • controle do Fisco do estado de destino;
  • via fica presa ao bloco para exibição ao Fisco. 

Já a Nota Fiscal de Serviço de Telecomunicações (modelo 22) é emitida em duas vias, com os seguintes destinos:

  • usuário; e
  • outra via em poder do emitente para exibição ao Fisco. 

O modelo atual de Nota Fiscal de Comunicação e Telecomunicação foi atualizado pela Nota Fiscal Fatura Eletrônica de Serviço de Comunicação (NFCom). É um projeto nacional que tem a intenção de implantar um modelo nacional de documento fiscal eletrônico (modelo 62) e que irá substituir a sistemática atual de emissão da Nota Fiscal modelos 21 e 22, com previsão de implementação em 2024. 

Quais são as diferenças entre as Nota Fiscais Modelo 21 e 22 para as outras NFs?

As principais diferenças destas notas para as demais notas físicas são as seguintes:

Destinatário

As notas fiscais modelo 21 e 22 são emitidas para pessoas físicas ou jurídicas que adquirem serviços de comunicação ou telecomunicação. 

Emissão

Ambas as notas são emitidas em via única, sem necessidade de imprimir o documento. 

Envio 

As notas modelo 21 e 22 devem ser enviadas à Sefaz em lote até o ultimo dia do mês subsequente à prestação do serviço. 

Conteúdo 

Nas duas notas, devem conter informações específicas sobre os serviços prestados, como o tipo de serviço, valor do serviço, o número do contrato e o número do terminal telefônico. 

Quando emitir Nota Fiscal Modelo 21 e 22?

A seguir, citamos algumas situações nas quais a emissão da nota fiscal modelo 21 ou 22 é obrigatória:

  • uma empresa de telefonia fixa que emite uma nota fiscal para cliente pessoa física que contrata um plano de internet banda larga;
  • uma empresa de rádio e TV que emite notas para outra empresa que compra um espaço para veicular anúncios;
  • uma empresa de telecomunicações que lança notas para outra organização que compra equipamentos para a instalação de uma rede de fibra ótica;
  • uma empresa de comunicação que disponibiliza notas fiscais para outra empresa que contrata um serviço de transmissão de dados. 

Quem pode emitir Nota Fiscal de Comunicação e Telecomunicação?

Empresas que efetuam operações de venda de serviços de comunicação e telecomunicações devem emitir as notas modelo 21 e 22. A seguir, alguns exemplos de serviços: 

  • prestação de serviços de telecomunicações, como telefonia fixa, móvel, internet, TV a cabo e demais serviços de valor adicionado;
  • serviços de comunicação, como transmissão de dados, transmissão de imagens, de voz e demais serviços de comunicação;
  • venda de equipamentos e materiais utilizados na prestação de serviços de comunicação e telecomunicações;
  • prestação de serviços de manutenção e reparo de equipamentos e materiais utilizados na prestação de serviços de comunicação e telecomunicações. 

Como emitir a Nota Fiscal Modelo 21 e Modelo 22?

As empresas elegíveis a emitirem a nota fiscal modelo 21 ou nota fiscal modelo 22 deverão se atentar às regras do Convênio ICMS 115/03, que dispõe das regras da emissão, escrituração, manutenção e prestação de informações dos documentos fiscais dos prestadores de serviços de comunicação.

Conforme o convênio, é critério de cada estado estabelecer a obrigatoriedade da emissão de Notas Fiscais de Serviço de Comunicação.

É papel da empresa transmitir os arquivos necessários conforme as regras do convênio ao Fisco e geralmente o Sefaz publica orientações referentes ao uso do software em relação às emissões, enquanto os programas de transmissão de arquivos verificam a consistência deles.

Dito isso, existem dois modos de transmitir as notas fiscais para a Sefaz, ambos considerados trabalhosos e retrógrados:

  • sistema Gera Mídia TED; e
  • mídias não-regraváveis (CD ou DVD).

Transmitir as notas fiscais para a Sefaz via Gera Mídia TED

Para transmitir as notas fiscais para a Sefaz por meio do sistema Gera Mídia TED, é preciso ter um certificado digital, que habilita o programa a gerar um arquivo em formato TED e permite que o programa seja transmitido.

É obrigação da organização fazer o download do programa Gerador de mídia TED — responsável por converter os arquivos digitais para transmissão. A transmissão das notas, por sua vez, utilizam o mesmo programa TED usado no SINTEGRA. 

Para a emissão, a empresa deverá ter:

  • CNPJ;
  • Inscrição Estadual;
  • Assinatura Digital, que deve ser pedida na Receita Estadual (preferencialmente com acompanhamento profissional de uma pessoa contadora);
  • Ferramenta que cadastre, gere e envie as notas para seus clientes;
  • Lote mensal de notas fiscais a serem enviadas para a Sefaz, que inclui três processos:
  1. Validar arquivos das notas (por meio do aplicativo “Validador de arquivos do Convênio ICMS 115-03”);
  2. Gerar TED para transmissão à Sefaz do estado do cliente (aplicativo “Gera TED e-Nota Fiscal”);
  3. Transmissão do arquivo TED para a Sefaz do estado do cliente (aplicativo “TED”). 

O nome dos arquivos deve ser gerado da seguinte forma:

UF: Unidade Federativa responsável pela emissão dos documentos fiscais;

CNPJ: CNPJ do emitente dos documentos fiscais;

Modelo: modelo dos documentos fiscais;

Série: série dos documentos fiscais;

Ano: período de apuração;

Mês: mês do período de apuração;

Status: indica se o arquivo é normal (N) ou substituto (S). No caso de S, deverá ser indicado o número sequencial de dois dígitos do arquivo se iniciando em 01 (caso seja N, usar o “01”);

Tipo: inicial do tipo de arquivo, pode ser Mestre de Documento Fiscal (M), Item de Documento Fiscal (I), Dados Cadastrais do Destinatário do Documento Fiscal (D) e Controle de Identificação (C). 

Volume: número sequencial de volume. A quantidade de registros de arquivo Mestre de Documento Fiscal é limitada a 100 mil ou 1 milhão de documentos fiscais. Se esse limite for excedido, é necessário criar um arquivo de continuação — neste caso, a numeração será sequencial e consecutiva iniciada em 001.

Transmitir as notas fiscais para a Sefaz via mídias não-regraváveis

O segundo modo de transmissão dos arquivos à Sefaz é considerado ainda mais desatualizado: os arquivos de texto das NF-es devem ser armazenados em mídias não-regraváveis (CD ou DVD) ou enviados fisicamente para a Sefaz.

Como consultar Nota Fiscal de Comunicação e Telecomunicação?

Caso queira consultar suas notas fiscais modelo 21 ou notas fiscais modelo 22, siga os passos abaixo:

  1. Acesse o portal da Sefaz estadual: cada estado possui seu próprio portal da Sefaz, com informações específicas relacionadas a impostos e consultas a notas já emitidas.
  2. Faça login ou cadastro: para acessar os serviços relativos à consulta de notas, será preciso logar no sistema, ou se cadastrar.
  3. Localize a seção adequada: para a consulta, procure um campo relacionado à nota fiscal ou serviços tributários.
  4. Selecione a opção de consulta de nota fiscal: Geralmente, há uma opção de consulta para nota fiscal, em que será possível checar o tipo de nota desejado — “Modelo 21” (comunicação) ou “Modelo 22 (telecomunicação).
  5. Preencha os campos requisitados: pode ser que você precise preencher informações relevantes, como o número da nota fiscal, data de emissão do documento, o CNPJ da empresa emissora, entre outros detalhes.
  6. Realize a consulta: após o preenchimento de campos necessários, clique na opção “Consultar” ou semelhante.
  7. Faça a análise de resultados: os resultados da consulta vão trazer as principais informações da nota fiscal. 
  8. Salve ou imprima os dados: escolha um dos dois procedimentos, que é opcional.

NFCom: a atualização das notas 21 e 22

Como já dissemos, o processo de emissão da nota fiscal modelo 21 e nota fiscal modelo 22 é considerado defasado e com poucas atualizações devido às documentações escassas encontradas sobre o assunto.

Por isso, o Ajuste SINIEF nº 07/2022 é um documento publicado pela Sefaz no diário oficial em 12 de abril de 2022. A consequência da publicação foi a criação da Nota Fiscal Fatura de Serviços de Comunicação eletrônica – NFCom, modelo 62, e do Documento Auxiliar da Nota Fiscal Fatura de Serviços de Comunicação eletrônica – DANFE-Com.

A NFCom tem a função de substituir os modelos 21 e 22 da nota fiscal de serviço. O novo documento será emitido e armazenado eletronicamente e tem a função de simplificar as obrigações acessórias dos contribuintes, enquanto permite o acompanhamento da emissão em tempo real pelo Fisco. 

A nova Nota Fiscal deverá ser emitida tanto para empresas públicas quanto privadas, quanto para pessoas físicas e será usada para cobranças de serviços de comunicação de qualquer natureza, como:

  • emissoras de rádio e televisão;
  • portais de notícias;
  • jornais e revistas impressos;
  • provedores de internet;
  • telefonia fixa ou móvel;
  • entre outros.

A obrigatoriedade de emissão da NFCom está marcada para 1º de Julho de 2024. No entanto, a emissão já pode ser feita de forma opcional, tanto que estados como Acre, Ceará, Goiás, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia e Santa Catarina já iniciaram a adesão ao modelo 62 da NFCom. 

Aqui, mais detalhes sobre o novo documento. 

Simplifique sua gestão de documentos fiscais com a Focus NFe

Somos um ecossistema de soluções para a emissão e gestão de documentos fiscais, permitindo que empresas dos mais diversos portes e segmentos ganhem mais tempo para focar no que importa.

Sua empresa possui desenvolvedores, sistema interno e quer otimizar a emissão de notas? Conheça nosso conjunto de APIs para emissão de documentos fiscais!

Converse já com a nossa equipe!

Jaciara Santana

Jaciara Santana

Analista de Redes, amo assistir séries, viajar e conhecer novos lugares.

Inscreva-se em nossa newsletter​

Receba nossos conteúdos exclusivos em primeira mão.

Explore outros conteúdos:

Nota Técnica 2023.004
Nota Fiscal
Hélio Marques

Nota Técnica 2023.004: novo evento para NF-e e NFC-e (ECONF)

documentos fiscais e recursos financeiros recebidos.

Assim, todos os que estão envolvidos no processo da emissão da Nota Fiscal eletrônica (NFe) e a Nota Fiscal de Consumidor eletrônica (NFCe), têm a possibilidade de anotar no documento fiscal as transações financeiras relacionadas através do Evento de Conciliação Financeira (ECONF).

No entanto, em 02 de fevereiro de 2024, foi lançada a versão 1.10 da NT 2023.004 com algumas alterações importantes. Acompanhe o artigo de hoje e entenda mais sobre essas mudanças.

Leia mais »
Nota Técnica 2019.001: Atualizações das Regras de Validação
Nota Fiscal
Douglas Pinheiro

Nota Técnica 2019.001: Atualizações das Regras de Validação

A Nota Técnica 2019.001 trata-se de um documento com alto impacto para desenvolvedores e demanda regras de validação mais rígidas. Por isso, passa por atualizações constantes, a fim de melhorar os serviços oferecidos aos consumidores.

Algumas de suas regras têm a ver com tópicos importantes, como benefícios fiscais, melhora do controle de documentos referenciados e a identificação do destinatário, descrição de informações do ICMS com mais precisão, entre outros tópicos.

A seguir, trazemos as mudanças da Nota Técnica 2019.001 nas diferentes versões do documento, lançadas nos últimos anos.

Leia mais »
Nota Fiscal Falsa: Como evitar golpes
Nota Fiscal
Gabriel Hissatomi Davanzo

Nota Fria: o que é, como identificar e como evitar golpes?

A Nota Fria é todo documento que contém qualquer tipo de informação adulterada. Esse é um problema que nem sempre fica claro e até mesmo as partes não envolvidas na ação criminosa podem ser afetadas judicialmente.

Portanto, é essencial saber como identificar as notas falsas e como lidar com esses percalços para evitar fraudes e se prevenir contra este tipo de documento. Acompanhe o artigo de hoje e saiba como reconhecer a Nota Fria.

Leia mais »