Como diferenciar e utilizar os tokens da API (revenda e emissão)

Luciano Romaniecki

Conteúdo

Ao utilizar nossa API você deverá realizar a autenticação com o uso de tokens. Mas como saber qual token aplicar? Acompanhe esse guia para entender tudo que precisa sobre eles e sua relação com as referências.

Se você chegou até aqui, já deve ter recebido seus dados de acesso no painel, token da revenda, realizado o cadastro de um emitente e agora está tentando emitir uma nota fiscal. Se está confuso com a questão da autenticação, continue a leitura.

Temos duas classificações para um token, revenda e revendido(emissão):

Token RevendaToken Revendido
É exclusivo do ambiente de produção e você recebe no momento do seu cadastro.É o par de tokens que pode consultar após a vinculação do certificado, veja como obter eles aqui.
Caso perca, você pode enviar uma mensagem para “suporte@focusnfe.com.br” a partir do seu email de acesso solicitando essa informação.Cada um é específico de um ambiente.

Apesar de poder usar qualquer um desses tokens para emissão das suas notas fiscais, você deve se perguntar quais os usos, as vantagens e as desvantagens de cada um.

O token da revenda, além de garantir seu acesso para a API de revenda pode ser utilizado para fazer as emissões de notas de seus clientes e utilizar apenas um webhook/gatilho para receber as informações de retorno.

Porém, existem duas ressalvas:

  • O uso de referências deve ser único por cada token, então se você utilizar um padrão de envio igual para diversos cadastros de empresas, terá problemas. Exemplo:
    • Você cadastrou empresa X, empresa Y e vai utilizar o token da sua revenda para realizar o envio.
      Usa a referência 0001 para a primeira nota de X, ao tentar usar a mesma referência (0001) para Y, será acusado um erro pela API.
    • Aconselhamos o uso de identificadores por empresa nesse caso.
  • Podem existir riscos à segurança. Caso seu sistema faça comunicações locais, há a possibilidade de rastrear o token usado e garantir acesso aos dados das suas empresas filiadas e notas emitidas.
  • Pode facilmente alcançar o limite de requisições.

Os tokens revendidos podem ser utilizados para emissões teste em homologação e também em produção, só precisa apontar o endpoint e token corretos.

Diferente da revenda, eles apresentam mais segurança, pois caso rastreados pelo seu cliente, só vai permitir acesso à suas próprias notas e dados. Assim como permitir o uso de referências em comum entre cada empresa.

Em contrapartida, você deverá configurar um gatilho para cada CNPJ para receber notificações.

Luciano Romaniecki

Luciano Romaniecki

Coordenador de suporte no Focus NFe

Inscreva-se em nossa newsletter​

Receba nossos conteúdos exclusivos em primeira mão.

Explore outros conteúdos:

calculadora sob uma mesa com papéis com anotações.
Nota Fiscal
Welker Zigante

O que é DIFAL do ICMS? Entenda como funciona e quem paga!

O termo Diferencial de Alíquota (DIFAL) se refere ao recolhimento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e busca promover equidade tributária entre os estados brasileiros.

Empreendedores como proprietários de e-commerces que realizam compras fora do estado e vendem para consumidores finais, precisam considerar as variações nas alíquotas do ICMS entre os estados.

Logo, dada a complexidade dessa legislação, compreender o que é e como funciona o DIFAL pode ser desafiador, especialmente devido às diferentes alíquotas e leis em cada um dos 26 estados e no Distrito Federal relacionadas ao ICMS e aos produtos e serviços tributados.

Acompanhe o nosso post de hoje e compreenda melhor esse processo.

Leia mais »
/nota-tecnica-2016-003
Nota Fiscal
Junior Muniz

Nota Técnica 2016.003: confira a nova tabela de NCM!

A Nota Técnica 2016.003, publicada em dezembro de 2016, é um documento fundamental para a emissão da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Ela define a tabela de Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) e as Unidades de Medidas Tributáveis (Utrib) a serem utilizadas na NF-e.

Desde que foi lançada, a Nota Técnica 2016.003 passou por diversas alterações, a fim de atualizar a tabela de NCM e Utrib conforme as mudanças da legislação e as necessidades do mercado.

A seguir, abordamos em detalhes todas essas mudanças nas diferentes versões da Nota Técnica e quais códigos foram incluídos e excluídos do documento.

Leia mais »