Necessidade de emissão de NFS-e em vários municípios

As notas fiscais são documentos que permitem o registro de diversas operações realizadas pelo contribuinte. Entre estas operações, podemos citar a compra e venda de mercadorias, a remessa de produtos entre estabelecimentos, a devolução de itens para fornecedores ou pelos clientes, a prestação dos mais diversos tipos de serviço, e muito mais.

Diante da variedade de operações e a quantidade de documentos emitidos diariamente em nosso país, a tecnologia facilitou a vida do contribuinte. Isto porque a maior parte dos documentos hoje estão no formato eletrônico, mantidos exclusivamente em meio digital. O que possibilita, inclusive, a facilitação na checagem e controle por parte do governo.

Está claro até o momento as possibilidades de acobertamento dos fatos geradores, ou seja, a emissão dos documentos fiscais a fim de registrar determinadas operações. Mas, quando falamos de notas fiscais, precisamos saber que existem competências também atribuídas aos órgãos de Estado e, neste artigo, falaremos especialmente da nota fiscal de serviço, a NFS-e.

A Nota Fiscal de Serviço é um documento de competência municipal. São as prefeituras que possibilitam a emissão de seus documentos por meio de seus sites oficiais na Internet. No entanto, a grande maioria das prefeituras possuem um serviço de integração chamado webservices. Esta funcionalidade permite que os contribuintes conectem seus sistemas de informação na prefeitura e emitam as notas a partir de suas aplicações. Em outras palavras, é possível que o sistema utilizado no estabelecimento possa controlar as tarefas e rotinas do dia-a-dia e ainda emitir as notas de serviço.

A possibilidade de manter tudo concentrado em uma única ferramenta é algo ótimo, mas como tudo na vida há seus poréns. O problema começa quando a autonomia das prefeituras permite que elas contratem diferentes provedores de serviço, e como não há um padrão estabelecido, isto ocasiona a necessidade de converter campos e estabelecer convenções na ferramenta do próprio usuário, especialmente quando falamos de um sistema integrado à diversas cidades.

É muito comum que os sistemas criados por software houses para atender segmentos diversos sejam vendidos a nível nacional. Para ser um sistema completo, na maioria da vezes, as empresas precisarão incluir a emissão da NFS-e em suas rotinas. Se considerarmos apenas os pontos levantados até então é fácil entender o porquê da maioria das empresas optarem pela integração com uma API especializada. Afinal, quando falamos de especialização, é muito mais prudente deixar o serviço com alguém que possua mais experiência. Lembre-se, uma vez que o trabalho de desenvolvimento já aconteceu, ainda é necessário acompanhar a legislação das prefeituras e manter o sistema atualizado. É comum ocorrer a troca de provedores, por exemplo. E quando não há uma comunicação eficiente no município, as coisas precisam ser feitas às pressas.

Na Focus NF-e, desenvolvemos uma API de alto nível. Possibilitamos que nossos clientes integrem seus sistemas com a gente, não importando o tamanho da empresa ou a quantidade de emissões. Cuidamos para que o sistema converta automaticamente as requisições para os padrões de cada cidade. Você só precisa se preocupar com um único formato, fazemos todo o resto aqui! Para conhecer mais sobre a API de NFS-e da Focus, visite nossa documentação ou entre em contato com a gente.